O prefeito Roberto Cláudio participou, no dia 14/04, do III Seminário dos Agentes de Cidadania e Controle Social da Capital. Promovido pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Participação Social (CEPS), o evento reuniu, no auditório do Hotel Romanos, profissionais da área de todas as Regionais da Cidade.

A programação, iniciada com um café da manhã entre os presentes, foi composta pela explanação de painéis cujas temáticas suscitaram debates sobre empreendedorismo, economia solidária, planejamento municipal e motivação para o trabalho voluntário.

Na oportunidade, Roberto Cláudio apresentou os principais objetivos do encontro. Dentre eles, a relevância da maturação da gestão municipal compartilhada. Por meio da elaboração estratégica de novos canais de interação, deverão ser pensadas, em conjunto, alternativas que facilitem a comunicação entre a Prefeitura de Fortaleza e as demandas prioritárias de cada Regional.

“Os Agentes Comunitários são pessoas estratégicas nessa comunicação entre Prefeitura e população. Não é mole administrar, em escala, uma Capital de 2 milhões e 600 mil habitantes. São diversos os canais já existentes, redes sociais, vereadores. Há um conjunto de mecanismos. Mas ninguém conhece tão bem as prioridades da população do que uma liderança legitimada pelo respeito. Nosso objetivo é propor, hoje, um canal eficiente de fluxo de informações de ida e de volta entre a solicitação da comunidade e a resposta da Prefeitura. Isso envolve empoderá-los com informações, fortalecê-los e estruturar a capacidade de organização”, esclareceu o Prefeito.

Durante o Seminário, do qual participaram o coordenador Especial da CEPS, professor João Arruda; a presidente da FUNCI, Tânia Gurgel; o titular da SDHDS, Elpídio Nogueira, além de outras lideranças políticas, o Prefeito acrescentou que a busca por soluções para os problemas prevalentes na Capital deverá ser dever de todos. “Ao estruturar um canal de saída, unificando os canais de entrada, nós qualificamos as informações que chegam. Nessa resposta, vamos chamá-los para se engajar e resolver o problema juntos. Isso demanda mais tempo, mas engaja, fortalece o capital social e atribui transparência ao processo”, reforçou.

Empossados, os agentes de cidadania e controle social aprovaram a iniciativa. “Essas políticas estão sendo aperfeiçoadas para o bem da Cidade. Eu gosto muito de participar e estarei à disposição para lutar a favor dos interesses da Regional VI e de toda a Fortaleza. Eu amo ajudar a Prefeitura”, declarou Regina Cláudia, moradora e agente de cidadania do bairro Benfica.