Lançado em janeiro deste ano, o aplicativo AMC Móvel tem otimizado o registro de acidentes sem vítima na cidade ao mesmo tempo em que garante a fluidez e segurança viária nos pontos onde ocorrem essas colisões. Em vez de ficar aguardando a presença dos agentes de trânsito, a orientação é baixar a plataforma e acessar o menu Bateu (Boletim de Acidente de Trânsito Eletrônico Unificado de Fortaleza) para que os próprios condutores envolvidos possam realizar o registro da ocorrência. Já foram efetuados mais de 15 mil downloads.

Uma vez instalado o aplicativo, o usuário deve cadastrar seus dados e preencher o passo a passo do procedimento, informando um breve relato da ocorrência e anexando as imagens necessárias retiradas no momento da colisão. Ao preencher as informações exigidas, a via deve ser desobstruída imediatamente.

O condutor terá a opção de preencher as informações no modo offline, a fim de que sejam enviadas no momento em que o dispositivo conectar-se à internet. Quem desejar registrar o acidente posteriormente, deve fazer em um prazo de até 30 dias após a colisão pelo site centralamc.com.br.

Os dados lançados pelo aplicativo são analisados por técnicos da AMC que avaliam sua consistência e liberam sua impressão em sítio eletrônico em até cinco dias úteis, podendo ser usado pela seguradora e usado como prova em ações judiciais.

Para os acidentes que tenham ocorrido nas vias internas de condomínios, em estacionamentos privados, mesmo que de uso coletivo, ou em qualquer outro espaço que não esteja inserido na jurisdição do Município, assim como as rodovias federais ou estaduais, não serão registrados pelo aplicativo.

Segundo o Art. 178 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), “deixar o condutor, envolvido em acidente sem vítima, de adotar providência para remover o veículo do local, quando necessária tal medida para assegurar a segurança e a fluidez do trânsito, está sujeito à infração de natureza média, quatro pontos na carteira de habilitação e multa no valor de R$ 130,16”.

De acordo com o superintendente da AMC, Arcelino Lima, o novo aplicativo permite “seguir o que diz a legislação de trânsito. A exemplo das demais cidades do País, temos que promover uma mudança de cultura e priorizar o interesse coletivo. Uma pequena colisão gera, muitas vezes, grandes impactos, prejudicando a fluidez e a segurança de todos”, esclarece.

Outras funções
O aplicativo também vai permitir que o usuário possa consultar dados referentes aos investimentos no trânsito, bem como receitas e custos, através do “AMC Transparente”. Além disso, de forma mais cômoda, será permitido recorrer de uma multa ou verificar se o seu veículo foi rebocado em operações cotidianas desenvolvidas pelo órgão e denunciar veículos abandonados.

Fortaleza é a primeira cidade do País a englobar todos os serviços na área de trânsito numa mesma plataforma, que vai facilitar a vida dos cidadãos, garantindo um ir e vir com mais agilidade e segurança.