Em setembro, o Plantão Gramatical de Fortaleza completa 37 anos da sua criação. O serviço, que nasceu com o objetivo de auxiliar a comunidade a respeito do uso correto da língua portuguesa, é mantido pela Prefeitura de Fortaleza, por meio do Instituto Municipal de Desenvolvimento de Recursos Humanos (Imparh), e registrou mais de 683 mil atendimentos nesse período.

Fundado em setembro de 1980, pelo então presidente da Fundação Educacional de Fortaleza (Funefor), hoje Imparh, Agnello Neves, o Plantão Gramatical foi pioneiro no Brasil. Atualmente, contabiliza uma média de 1.000 consultas mensais, tirando dúvidas sobre ortografia, morfologia, sintaxe, semântica e demais assuntos da língua portuguesa. Neste ano, contabilizou, até agosto, 8.021 consultas.

Para o presidente do Imparh, Fábio Braga, “o atendimento prestado pelo Plantão Gramatical é de grande importância e realizado com excelência. Prova disso é a confiabilidade que os consulentes têm nas informações prestadas pelos nossos professores”, avalia o gestor, que também destaca a qualidade da equipe do Plantão Gramatical, composta por professores especialistas, mestres e doutores na área de português.

Ao longo de sua existência, o Plantão Gramatical atendeu usuários de outros municípios e estados brasileiros, além de registrar atendimentos a pessoas de outros países. Veículos de comunicação, como os jornais O Estado de São Paulo e O Globo e a rádio BBC, de Londres, já publicaram matérias sobre o Plantão Gramatical de Fortaleza, firmando o serviço como referência.

O público que consulta o Plantão Gramatical é diverso. São estudantes, universitários, concurseiros, advogados, professores, magistrados, jornalistas, escritores e profissionais das mais diversas áreas que procuram atendimento na hora daquela dúvida sobre o uso correto do português. Armando Damasceno, gerente do Plantão, ressalta que “o serviço foi muito bem recebido pela sociedade desde o princípio, revelando que as dificuldades com a língua escrita não são privilégio dos estudantes do ensino fundamental e médio”, analisa.

Atualmente, cinco professores atendem de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 17h. As dúvidas podem ser respondidas por telefone, pessoalmente ou por fax. O número de telefone, meio mais usado, continua o mesmo desde a sua fundação: 3225-1979.